Refletindo . . .

Clique na figura abaixo

A conversa dos dois alunos, que nos mostra a charge acima, faz com que alguns questionamentos importantes sejam levantados em relação a realidade escolar:

Tais questões precisam ser pensadas, uma vez que toda e qualquer atitude durante o processo, quer seja do aluno ou do tutor, refletirá no desempenho da aprendizagem e consequentemente no resultado da avaliação.

Vamos discutir o assunto? Aguardo seus comentários

Avaliação e os Modelos de Tutoria

A avaliação se coloca enquanto um instrumento de intervenção, de problematização da própria ação nos diversos níveis, ou seja, um processo onde paulatinamente se vai tendo que tomar decisões e equacionar novas questões encontradas.

O central da questão da avaliação pode ser  resumido na fala de Paulo Freire: “avaliação é a problematização da própria ação”.

Como sabe-se, a avaliação apresenta várias definições classifica-se em diversos tipos, é empregada em momentos variados e pode abordar um, mais de um ou todos os aspectos que compõem um curso, por isso, a avaliação de um processo ensino-aprendizagem na EAD, inclui, entre outros fatores, os modelos de tutoria, pois os processos de acompanhamento e avaliação são instrísecos aos processos educacionais porque é através deles que se pode levantar indicadores que venham “revelar” se a aprendizagem foi efetiva ou não. Isto implica se ter presente várias dimensões que compõem um fazer desta natureza  que só alguns modelos de tutoria poderão sustentar.

 Não existe um modelo único de tutoria. Cada instituição, dependendo de sua estrutura administrativa, pedagógica e recursos financeiros disponíveis adota formas variadas de tutoria:

    Tutoria presencial:  o tutor pode assumir a função de expositor, explanando sobre algum tema específico (coincidindo com a função tradicional do professor) ou de facilitador, levantando dúvidas, propondo estratégias, apoiando cada indivíduo na superação das suas dificuldades, avaliando o sistema e buscando soluções. 

    Tutorias à distância: os meios tecnológicos são utilizados como intermediários na relação com o aluno. Podem ser realizadas por correspondência (utilizando material impresso como intermediário); por contato telefônico ou fax e ainda via internet (on-line ou off-line).

A escolha de um desses modelos ou a combinação dos mesmos, devem seguir os mesmos critérios básicos da escolha da abordagem de avaliação a ser adotada, ou seja, deve ser coerente com a proposta pedagógica de ensino existente.

Enfim, a escolha da abordagem e do processo de avaliação deve estar em consonância com o modelo de tutoria , pois de nada adianta a escolha de um processo avaliativo cujo objetivo é avaliar o aluno durante todo o seu processo de construção de conhecimento, se o modelo de tutoria adotado não dá abertura para esse tipo de ação.

 

Faça suas anotações e divida comigo sua opinião.

                   

 

 

 

Um processo de avaliação deve necessariamente ter seu resultado divulgado ao interessado, o aluno. Na modalidade EAD, quando os encontros presenciais são menos freqüentes ou inexistentes, dificultando muitas vezes as possibilidades de retornos e informações sobre o desempenho do aluno, esta deve ser uma preocupação constante e sistemática.

 

A partir da informação do resultado da avaliação ao aluno, o professor ou o tutor (isso pode variar de instituição para instituição) terá a oportunidade de reorientar a aprendizagem, através de um retorno imediato e individualizado, contendo comentários sobre o desenvolvimento do seu processo de construção de conhecimentos. Os alunos precisam de comprovação imediata e freqüente dos resultados de suas aprendizagens, e muitos, aguardam ansiosamente por opiniões que o ajudem a crescer.

 

 

No entanto, esse processo deve ser construtivo, no sentido de ajudar o aluno a entender o que deveria fazer para evitar os mesmos erros no futuro, apresentando indicações de como uma resposta certa, mas não satisfatória, poderá ser melhorada, podendo incluir a indicação de técnicas de estudo ou métodos para melhor estudar aquele conteúdo. Deve se tornar um instrumento de motivação para o aluno, que ao tomar consciência de como está o seu processo de construção do conhecimento e das suas eventuais dificuldades será capaz de, com a ajuda do professor, buscar rotas alternativas de aprendizagem.

 

A forma como o feedback é apresentado, é tão importante quanto o conteúdo do mesmo.

 

 

 

Click no link abaixo e dê nos um feedback sobre a leitura . Ok?

 

 

FEEDBACK EM E-LEARNING: POSSIBILIDADES E DESAFIOS

COMPARTILHAMENTO, esta possibilidade do contexto virtual, é extremamente importante, pois é na troca de experiências, reflexões e sentimentos que se fortalece o trabalho coletivo e colaborativo. As múltiplas interações que acontecem de forma diversificada potencializam a construção da rede humana de aprendizagem.

 

 

Assim, para por em prática a construção coletiva, Eu, a Jaqueline e a Elisa iniciamos a elaboração de um texto coletivo sobre avaliação, integrando os temas de nossos BLOGS para que juntas possamos crescer e aprender com experiências e considerações de todos que estiverem participando conosco desse novo desafio.

 

Vc não gostaria de fazer parte dessa caminhada e agregar o tema de seu Blog em nossa discussão?

 

Instruções:

Seja bem vindo(a)

http://docs.google.com/Doc?id=dg4k4dh3_0dr8b78

VALE A PENA SABER ....

  

 

 

Este Blog “Avaliação do Tutor”, faz parte de um planeta....

                    

 

 

Para quem não conhece, planeta é um site agregador de blogs. Esse planeta, é constituído de vários Blogs de colegas, sobre as diferentes facetas da Avaliação, sendo assim, basta acessá-lo para ficar por dentro de temas relacionados ao conceito de avaliação.

 

 

Esse site agregador de Blogs – planeta, constitui mais uma das perspectivas de exploração de novas tecnologias de comunicação e informação

 

 

 

Transforme-se em um astronauta e venha explorar o planeta de avaliação em EAD. Para conhecê-lo, basta clicar na figura abaixo

 

Convido você a entrar no Blog da Eliane que está tratando do tema: Avaliação como motivação da aprendizagem em EAD para ler uma de suas postagens  - a “Estória do Bambu Chinês” - que está diretamente relacionada ao nosso tema: Avaliação do Tutor.

 

 

Após a leitura ... divida comigo suas considerações.

 

Blog da Eliane ---> 

A Avaliação do Tutor realizada pelo Professor

Um dos pilares de um curso de EAD está ligado ao relacionamento entre Tutor e Professor, afinal, cabe ao professor o papel de gestor do conhecimento e a produção do material didático e pedagógico do curso; e ao Tutor, atuar como facilitador e mediador da aprendizagem, familiarizando o aluno com a metodologia do curso e com o material didático, além de orientar diversas atividades que o Professor realizará ao longo do curso por meio de instrumentos de aprendizagens e de avaliação.

Uma tarefa fundamental do Tutor é de auxiliar o professor na contextualização de sua disciplina dentro do curso e da própria EAD. Sua função é de extrema importância, uma vez que o sucesso das ações do professor está diretamente ligada a sua atuação.

Por esse motivo, é importantíssimo que o Professor periodicamente realize uma avaliação da atuação do Tutor, com o objetivo de sanar possíveis problemas e enriquecer ainda mais o sistema.

Para realizar essa avaliação, alguns critérios poderão ser elencados pelo Professor para que haja um direcionamento ou redirecionamento de ações. Dentre os muitos, podemos citar:

 Você gostaria de acrescentar mais algum critério que por ventura não foi citado?

Aguardo seus comentários.

 

Tutor x Tecnologia x Avaliação

As novas tecnologias são sempre transitórias. Hoje é a informática, são os cursos virtuais; ontem eram os módulos de ensino, a instrução programada, o rádio, a televisão.

Nesse sentido, os professores e os tutores, devem estar sempre se preparando para incorporar as novas tecnologias a seu cotidiano, pois, no caso específico de EAD, as novas gerações de recursos tecnológicos vão se incorporando ao já existente, sem eliminá-lo.

 

Sendo assim, e considerando a importância das novas tecnologias na mediação do ensino a distância, é imprescendível que conhecimentos e habilidades para lidar com elas façam parte da formação do Tutor, uma vez que as mesmas serão grandes aliadas no processo avaliativo, pois permitirão ao Tutor flexibilidade e uma gama de opções para observar e acompanhar o aluno na busca pelo seu conhecimento e crescimento.

 

 

Como na EAD, a função de avaliação se desdobra em duas: acompanhamento e avaliação. A observação do interesse do aluno, da participação e de sua frequencia, ao mesmo tempo que é dificultada pela perda do contato face a face, essas são de extrema importância no processo de avaliação, por isso, para lidar com essa situação, várias formas de interação do aluno com o ambiente de aprendizagem são analisadas, e cabe ao Tutor, realizar essa análise que mais tarde fará parte de sua avaliação,  por isso, ser dinâmico e rápido no gatilho é fundamental em um curso a distância. Para tanto, é preciso ter muita familiaridade com a tecnologia.

 

Na sua opinião ..... vc acha que a tecnologia facilita e contribui no processo de avaliação? 

Gostaria de dar as boas vindas à vocês colegas que irão avaliar meu Blog.

O mesmo foi feito de forma a abordar, na maneira do possível, todas as facetas que envolvem a Avaliação do Tutor. Como poderão observar, no período que nos foi destinado para criação do Blog, procurei alimentá-lo todos os dias com informações novas.

Mas claro .... antes de entrar no tema do Blog, achei que seria interessante abordar conceitos sobre Avaliação e Tutoria, como pré-requisito para o assunto: Avaliação do Tutor

Espero que gostem ...... e torço para que meu Blog seja uma rica fonte de conhecimento para vocês

Abraços Valessa

A Avaliação do Tutor presente na Auto-Avaliação Institucional

Como Já foi dito, este Blog tem como objetivo pesquisar, discutir e refletir sobre as diversas facetas da avaliação do Tutor , por isso, acredito ser de grande importância comentar sobre a avaliação deste, como meio de contribuir para a Auto-Avaliação Institucional.

Segundo Huguet, a Auto-Avaliação Institucional é um processo interno, configurado com padrões próprios da instituição, não tem caráter público e nem o propósito de comparação com outras instituições. É um momento intencionalmente pedagógico e de potencialização dos recursos humanos, com fins de desenvolvimento e busca pela excelência

A Auto-Avaliação Institucional é propriedade e responsabilidade de todos os que estão envolvidos com os processos de avaliação, por isso, é fundamental que ocorra a participação de cada ator-sujeito desse processo, pois esta assegura que a instituição pense, repense e viabilize planos de ação que impliquem em mudanças e desenvolvimento, dando credibilidade e legitimidade ao processo de avaliação, além de buscar patamares superiores de qualidade e relevância.

Nesse sentido, a participação e a avaliação do Tutor é de extrema importância nesse processo, por ser pedagógica e transformadora. Pedagógica ao promover o conhecimento, ensinando a conhecer a realidade focalizada e ao orientar os alunos quando estes forem realizar a Auto-Avaliação Institucional, esclarecendo suas dúvidas, já que está em constante interação com os mesmos. Tranformadora por apresentar alternativas que gerem mudanças, como o aprimoramento do que já se fez, alteração de estratégias, redefinição de propostas, correção de rumos e reconstrução do objeto analisado.

Ao se tratar de avaliação, qualquer que seja sua faceta, todos os atores envolvidos no processo educativo possuem um papel de extrema importância já que estão contribuindo para melhorias no processo.

Segundo Ribeiro (2000) " a avaliação é um instrumento fundamental para todo organismo social que busque desenvolvimento e qualidade. Para a universidade, instituição cuja razão de ser encontra-se na prestação de serviços de qualidade à sociedade, buscando sempre a excelência na produção, sistematização e democratização do saber, o propósito dessa avaliação deve ser o de conduzir ao aperfeiçoamento constante."

Caso tenha interesse de conhecer um pouco mais sobre Avaliação Institucional, convido você a visitar o site no INEP, clicando abaixo

Auto-avaliação do Tutor

Segundo Chiavenato(2003), "avaliação mais autêntica é aquela que a própria pessoa faz a respeito do seu desempenho".

Por isso, a auto-avaliação do Tutor é de extrema importância para que o andamento do curso aconteça a contento, e fundamental para a qualidade da educação que é oferecida aos alunos, uma vez que assegura uma ação desejável do Tutor junto aos mesmos.

A auto-avaliação do tutor não tem caráter punitivo, mas permite que o mesmo possa refletir sobre sua atividade, já que ele mesmo é o sujeito de sua própria avaliação, e ao se avaliar estará contribuindo para o seu desenvolvimento.

No seu artigo Auto-Avaliação da Tutoria, indicado abaixo, Silveira (2005) relata uma pesquisa realizada pelo Sebrae. Segundo ela, a auto-avaliação do Tutor pode ser composta pelos seguintes quesitos: domínio de conteúdo, resultados alcançados com o aluno, interatividade com o aluno, existência de reclamações, índice de concluintes, assertividade, tempo de acesso as turmas e avaliação dos alunos.   

Para Silveira (2005) "quando o produto é educação e o cliente é o estudante, é importante que haja um compromisso revestido de responsabilidade que precisa estar presente a cada um dos seus educadores que levam o nome da Instituição aos mais distantes pontos do país. Com toda esta responsabilidade, cada uma das ações precisa cumprir o seu papel na Sociedade e para que isso aconteça, nada melhor do que envolver os atores".

Espera-se que na auto-avaliação, o Tutor contemple itens que julgar importantes em suas atividades de tutoria. Para nortear esse trabalho algumas perguntas podem ser respondidas como:

Auto-Avaliação da Tutoria 

Espero você para trocarmos idéias a respeito do assunto

Auto-avaliação

Antes de falarmos sobre auto-avaliação do tutor, é importante definirmos o que é Auto-avaliação.

Você sabe o que vem a ser auto-avaliação?

 

A auto-avaliação envolve uma análise crítica da ação efetuada. É um processo contínuo por meio da qual um sujeito constrói o conhecimento sobre a sua própria realidade, buscando compreender os significados do conjunto de suas atividades para melhorar a qualidade do seu trabalho e alcançar maior relevância social.

A auto-avalição na educação, caracteriza-se como um processo cíclico e renovador de análise, interpretação e síntese das dimensões de onde e como se está atuando.

Você como educador, alguma vez já parou para refletir e fazer uma auto-avaliação como o objetivo de melhorar e enriquecer ainda mais seu trabalho?

Caso tenha interesse, click no botão abaixo e responda ao questionário. O mesmo lhe ajudará a descobrir se você está bem preparado para enfrentar os desafios do magistério e as exigências que surgem a cada dia no mercado de trabalho atual.

Boa sorte nos resultados.

clique aqui

Avaliar é uma via de mão dupla - A avaliação do Tutor realizada pelos alunos

A educação mostra grandes exigências que diz respeito à qualidade, tornando a avaliação um tema muito importante.

Na tutoria estão presentes 2 aspectos: a educação como resultado final da atuação e avaliação do tutor e a competente gestão de pessoas para que as atividades sejam desenvolvidas com qualidade dentro dos critérios estabelecidos pela instituição, afim de medir se está correspondendo às necessidades dos alunos.

Segundo Pallof (2004), os professores que trabalham centrados nos alunos tem uma contribuição significativa a fazer para a experiência da aprendizagem, e os alunos querem que eles estejam presentes e envolvidos, por isso, sendo o aluno o principal agente do processo, sua avaliação em relação ao tutor é de extrema importância.

A tutoria é um trabalho árduo, pois o que acontece é quase sempre um atendimento individualizado, para isso, ao realizar a avaliação do trabalho da tutoria, é aconselhável que os alunos classifiquem a atuação do tutor quanto ao compromisso com a qualidade do curso, a comunicação com os alunos e o domínio dos conteúdos.

Sugere-se que algumas reflexões sejam feitas na hora de realizar tal avaliação, como por exemplo:

Essa avaliação sobre a prática do tutor realizada pelos alunos constitui um saber essencial nas palavras de Paulo Freire (1997) quando cita: "na formação permanente dos professores, o momento fundalmental é o da relexão crítica sobre a prática. É pensando criticamente a prática de hoje ou de ontem que se pode melhorar a próxima prática".

Atitudes do tutor que devem ser evitadas durante o processo avaliativo

 A importância e a complexidade da posição que ocupa o tutor dentro de um sistema de EAD exige que ele possua o domínio de uma prática política educativa, formativa e mediatiza, por isso, sua postura deve ser impecável, com vistas a criar um ambiente harmonizo e propício à aprendizagem.

Gostaria de complementar ???

Critérios e Sugestões de Avaliação para o Tutor

Em EAD, uma avaliação que tem como foco o real e o efetivo envolvimento, participação, criação, cumprimento das atividades, interesse, motivação, colaboração e outros tantos aspectos por parte dos alunos, configura uma forma de constatar a aprendizagem, de intervir quando necessário e ser justo ao pontuar.   

Segundo Gutierriz e Prieto (1994), alguns critérios de avaliação devem ser considerados pelo tutor. São eles:

Além desses critérios a serem considerados, é importante que seja avaliado: capacidade de síntese, análise, comparação, relacionamento de temas e conceitos, , avaliação, criatividade, expressão e observação.

Avaliar on line permeia realizar análises e observações no campo do quantitativo e no campo do qualitativo, unindo os pontos positivos de cada uma destas formas, numerando a ordem, momento, quantidade e qualidade de participação, destacando o que efetivamente responde ao que foi proposto. Segue abaixo algumas sugestões de atividades para ajudar o tutor nessa difícil e trabalhosa missão de avaliar. Vale a pena anotar:

A intenção não é oferecer receitas prontas e sim dar algumas dicas que poderá ajudar o tutor no seu planejamento e na forma de avaliar.

O que vc acha de enriquecer ainda mais esses critérios e sugestões?

Pense no assunto e divida comigo essas reflexões. 

Tutor

Avaliando o aluno a distância

Como já foi dito em uma das mensagens abaixo, a avaliação em EAD deve ser contínua ... realizada durante todo o processo enquanto o tutor acompanha o aluno na construção do conhecimento. Deve ser coerente com os princípios psico-pedágógicos e sociais do processo de ensino-aprendizagem adotados para o curso, para que assim, possa ser justa e ter também a função educativa.

Sua avaliação é sempre difícil, mas necessária para proporcionar a correção de eventuais falhas ... Deve ser calcada em uma estrutura flexível e sólida, aliada a um diálogo democrático, claro e pedagogicamente estimulador, para que ajude a facilitar extraordinariamente a aprendizagem a distância, fazendo com que os alunos se sintam confiantes e tenham a certeza de que mesmo distantes estão sendo vistos, observados e que suas constribuições e criações estão sendo analisadas e até mesmo questionadas.

 

Segundo Ferreira e Rezende (2004), o tutor deve acompanhar, motivar, orientar e estimular a aprendizagem autônoma do aluno, utilizando-se de metodologias e meios adequados para facilitar a aprendizagem. Através de diálogos, de confrontos, da discussão entre diferentes pontos de vista, das diversificações culturais e/ou regionais e do respeito entre formas de se ver e de se postar frente aos conhecimentos, o tutor assume a função estratégica de avaliador.

A avaliação da aprendizagem deve ter algumas qualificações que devem ser de conhecimento do tutor e consideradas ao se preparar atividades para se avaliar um aluno em EAD:   

 

Observação atenta e constante: bases para uma avaliação que privilegia a aprendizagem e leva em conta o ritmo de cada aluno

Aguardo seus comentários

Formação do tutor para a função de avaliação da aprendizagem à distância

A avaliação da aprendizagem na EAD acontece em um espaço que Michael G. Moore (1993) chamou de "distância transacional". A superação desta, é segundo o autor, o grande desafio para a avaliação nesta modalidade. Nessa visão, o tutor passa a ter funções, tarefas e responsabilidades especiais, pois é ele que estará constantemente interagindo com o aluno e acompanhando o processo de aprendizagem à distância.

Percebe-se que é no acompanhamento e na relação direta com o estudante que o tutor atua no processo de avaliação, dando o suporte necessário durante o percurso de estudo. Nesse sentido, é de grande valia que o tutor durante o acompanhamento, estabeleça o diálogo constante, para que o aluno decodifique seus erros e acertos na avaliação, para que aprenda mais e se sinta sujeito do processo ensino-aprendizagem. É a luz dos resultados da avaliação que o tutor re-orienta e intervem.

Sendo assim, as bases teóricas da formação inicial do tutor são as mesmas que formam o professor de classes presenciais. No entanto, na formação do tutor devem ser acrescentados conhecimentos e habilidades específicas necessárias ao desempenho de funções que envolvam a responsabilidade pela mediação pedagógica e pela execução, acompanhamento e avaliação da aprendizagem do aluno.

Segundo Litwin (2001), a formação teórica do tutor deve ser complementada com vivência da prática, ou seja, sua formação teórica, disciplinar e pedagógica-didática deverá ser atualizada com a formação na prática dos espaços tutoriais, considerando que a prática da tutoria está permeada por um novo olhar sobre o aluno na sua individualidade, sobre o material instrucional e sua compreensão sobre as maneiras de incentivar, formar, acompanhar e avaliar o aluno e todo processo.

Como se pode ver ... podemos dizer que a qualidade do processo de avaliação está diretamente relacionado com a qualidade da formação do avaliador.

Por isso, convido você a acessar o artigo: Formação do tutor para as funções de acompanhamento e avaliação da aprendizagem à distância, publicado no 11º Congresso Internacional de Educação a Distância, para que possamos aprofundar nossos estudos.

Planejando primeiro...                 

     

Avaliando depois . . .

A avaliação é compreendida como um processo de investigação tanto do aluno como dos professores, da equipe envolvida e da instituição, no sentido de que "avaliar é interrogar-se e interrogar" (Esteban, 1999)

Baseado na afirmação de Esteban, podemos dizer que a avaliação em EAD não está centrada unica e exclusivamente no aluno e sim no sistema como um todo. Discute-se o projeto e o material instrutivo pedagógico, o próprio curso como um todo e questiona-se professores, tutores, conteúdos e metodologias. Por isso, o tutor tem um papel pedagógico decisivo no processo avaliativo, uma vez que é ele que assegura o fluxo de comunicação interativa e bidirecional e atua como intérprete do curso junto ao aluno, por isso, é preciso que ele tenha conhecimento do curso como um todo, da sua proposta pedagógica, dos conteúdos, dos materiais didáticos e dos meios de comunicação que irá utilizar, pois como avaliador ele reune e socializa as diversas experiências dos alunos; ao mesmo tempo que auxilia no processo de aprendizagem e os ajudaa reaplicar, sobre sua realidade, os conhecimentos adquiridos.

Por isso, para que a avaliação aconteça a contento, é preciso que o tutor consiga abstrair o essencial da avaliação e seja capaz de lidar com o heterogêneo. Exige-se do tutor uma programação e um planejamento criterioso, onde seja considerado:

Ao avaliar o processo ensino-aprendizagem, o tutor checa o grau de satisfação do aluno com o sistema de EAD, coleta dados e analisa os resultados alcançados pelos alunos no programa. Desta forma, segundo Freire(1998) ao participar da avaliação, o tutor passa a fazer parte também do projeto do curso dando continuidade e efetividade ao sistema, tornando-se o principal responsável pelo aprendizado. Daí a necessidade de um planejamento sólido e cuidadoso.

 O planejamento é a base para que qualquer ação educativa aconteça e alcance o sucesso.

E vc ... o que acha

O Tutor e a Avaliação

A Avaliação é parte do jogo pedagógico do ir e vir, fazer e refazer em busca da construção do conhecimento, e a tutoria é parte atuante desse jogo, pois é o método mais utilizado na EAD para efetivar a interação pedagógica e atuar no processo de avaliação.

Na EAD, apesar do aluno assumir sua aprendizagem, o apoio que deve receber ao tomar decisões sobre a definição de suas metas ou nos momentos em que surgem os bloqueios e as dúvidas, não é excluído. É dever do tutor proporcionar orientação sobre os caminhos a seguir, propor exercícios inteligentes, acompanhar e avaliar a aprendizagem, explicando -lhes sobre sua nota ou menção. Vale destacar que, embora, a aprendizagem e a avaliação ocorram a distância, os mesmos cuidados éticos que devem cercar a avaliação presencial precisam ser respeitados. Entre eles o direito de acesso aos resultados e a privacidade em relação aos mesmos.

Nesse sentido, a atuação do tutor é fundamental na avaliação. Ele precisa compreender muito bem como e porque o aluno vai ser avaliado para que sua avaliação seja justa e direcionada sempre a desafiar e incentivar o aluno a melhorar o seu desempenho.

Assim, é o tutor que realiza a intercomunicação entre os elementos (professor-tutor-aluno) que intervêm no sistema e os reune em uma função tríplice: orientação/acompanhamento, docência e avaliação; tornando possível traçar um perfil completo do aluno por meio do trabalho desenvolvido, do seu interesse e da aplicação do conhecimento.

Segundo NEDER, a avaliação da aprendizagem deve ser entendida como um processo contínuo que possibilite analisar o estudante e suas ações durante o curso, e isso só é possível de se realizar durante o acompanhamento da aprendizagem realizada pelo tutor, por isso, este, deve fazer uso da avaliação formativa que acontece permanentemente entre os alunos e o tutor, constanto  de avaliação interpares em que os alunos se avaliam uns aos outros; na auto-avaliação - os alunos e o tutor se avaliam; na avaliação do tutor pelo aluno e a avaliação do aluno pelo tutor. Essa avaliação ajuda também a verificar o interesse, a conduta, a responsabilidade e o relacionamento interpessoal.

Segundo Freire(1975) a avaliação formativa consiste em uma prática educativa contextualizada, flexível, interativa, presente ao longo do curso, de maneira contínua e dialógica. 

Caso queira se aprofundar no tema: "Avaliação Formativa", convido você a visitar o Blog de uma amiga. Lá está recheado de informações pertinentes ao tema

Blog da Eliã.

O Universo do tutor é cheio de atividades, ambientes, materiais, responsabilidades e posturas frente a situções. Diversas são as dificuldades de se trabalhar transpondo espaço e tempo, por exemplo: Como avaliar de forma justa? Quais instrumentos avaliativos adotar? Qual formação o tutor precisa ter para atuar como avaliador?

 Espero suas contribuições para que juntos possamos responder tais questionamentos. 

Agora que temos uma visão conceitual de avaliação, que comentamos a respeito de sua importância no processo educativo e falamos sobre a mesma na EAD; antes de entrarmos no tema "Avaliação do Tutor", acredito ser de extrema importância construir o conceito de tutoria. Assim poderemos agrupar todos os conceitos e melhor debater sobre o tema do Blog, pois a tutoria visa a orientação acadêmica, o acompanhamento pedagógico e a avaliação da aprendizagem dos alunos à distância.

Um pouco de história ...

A Tutoria como método nasceu no século XV na universidade, onde foi usada como orientação de caráter religioso aos estudantes, com o objetivo de infundir a fé e a conduta moral. Posteriormente, no século XX, o tutor assumiu o papel de orientador e acompanhante dos trabalhos acadêmicos, e é com este mesmo sentido que se incorporou aos atuais programas de EAD (SÁ 1998).

       O tutor ...                        

Na EAD, os alunos são artífices de seu próprio desenvolvimento, dentro de uma relação interativa de troca de saberes. E uma peça chave nesse processo é o tutor que tem por meta a mediação da aprendizagem.

O tutor assume um papel relevante no contexto da EAD, pois além de atuar como intérprete do curso junto ao aluno, se colocando de ponte, como elo entre os alunos e o processo de aprendizagem e de colaboração, muitas vezes, ele tem que negociar, equilibrar e ajustar situações, esclarecendo dúvidas, estimulando o aluno a prosseguir e ao mesmo tempo participando do processo de avaliação da aprendizagem.

Atuar como tutor em EAD não é tarefa fácil, pelo contrário, é um desafio, ao passo que sua responsabilidade social aumenta, já que o mesmo passa a orientar a construção  do conhecimento do aluno.

O profissional para atuar como tutor deve estar preparado para assumir diversas tarefas que se resumem em um conjunto de ações que motivem os alunos na continuidade e na finalização de seus estudos.  

Saiba mais sobre o responsável por fazer nascer no aluno o desejo de aprender. Acesse os textos abaixo:

O papel da tutoria em ambinetes de EAD

Tutoria na Educação a Distância 

A Avaliação em EAD

O ato de avaliar é um processo difícil de executar na prática educativa, pois além de exigir do professor a capacidade de julgar, atribuir valor, interpretar informação, tomar decisão e agir conforme o caso, é uma ação de grande responsabilidade, pois visa à formação integral do aluno cidadão para que ele saiba atuar na sociedade de forma digna, solidária e competente.

Na EAD, onde o ensino é centrado no aluno, várias mudanças ocorrem no processo de avaliação, aspectos como interesse, cooperação e participação nas atividades propostas são de extrema importância. Mas apesar de suas características peculiares, não há um modelo para avaliar em EAD. Os sistemas de avaliação irão depender do conteúdo do curso, do público-alvo, do planejamento, da execução e da escolha dos meios de comunicação que serão utilizados ao longo do curso, mas independente dessas variáveis, é preciso que as possibilidades de escolha do aluno sejam ampliadas, oferecendo visões alternativas sobre o mesmo problema e materiais complementares que o auxiliem na sua formação, permitindo clareza, coerência da avaliação com os conteúdos estudados e com os objetivos propostos.

Segundo Gianna Oliveira B. Roque em um dos seus artigos, a Secretaria de Educação a Distância (Seed), por intermédio do documento Indicador de Qualidade para Cursos de Graduação a Distância, aponta para algumas características da avaliação de aprendizagem dessa modalidade:

Caso queira se aprofundar nesse tema leia os textos indicados abaixo, que na minha opinião, possuem um conteúdo riquíssimo. 

 

 

 

     Uma reflexão sobre a Avaliação Formativa na Educação a Distância

Avaliação em Educação a Distância: o desafio de fazê-la útil

A Avaliação na Educação a Distância: desafios e progressos

 

  Sua importância no processo educativo

 

A avaliação é um processo contínuo e permanente na vida de todos os atores envolvidos na arte de educar.

Seu papel é fornecer dados importantes a respeito das aptidões, preferências e dificuldades dos alunos, gerando nos mesmos a oportunidade de aprender, melhorar e refletir sobre seu desempenho, por isso, deve ser entendida como um meio de se obter informações e subsídios para favorecer o desenvolvimento do aluno e ampliação de seus conhecimentos, permitindo que procedimentos possam ser adotados para correções e melhorias no processo enriquecendo o trabalho pedagógico e, se preciso for, readequá-lo, redirecioná-lo ou reelaborá-lo.

Avaliar não consiste em uma ação final, mas sim numa ação contínua, cumulativa, descritiva e compreensiva, onde envolve não somente o aluno, mas permite ao professor e a escola analisar e refletir sobre sua capacidade de ajudar na construção do conhecimento. Não pode ser vista isolada de um projeto educacional que traga em seu bojo um processo de transformação ou de uma proposta de ação que busque modificações e interação contínua entre aluno/conhecimento/professor. estando articulada aos objetivos propostos e a forma como foram desenvolvidas as atividades, por isso, podemos dizer que avaliação e planejamento são práticas indissociáveis.

Em qualquer modalidade de ensino, a avaliação e a aprendizagem devem manter simultaneidade e concomitância de ação, de intervenção e de efeito, pois ensinando avalia-se e avaliando ensina-se ao mesmo tempo, dessa forma, o segredo da avaliação está na co-responsabilidade, no modo como os envolvidos no processo assumem seu papel e trazem a responsabilidade para si e contribuem para a construção do conhecimento, fazendo a relação texto-contexto, a ressignificação, a aplicação na própria realidade, a imaginação e a descoberta. 

O que é Avaliação ?

Vivemos em um mundo que evolui a cada dia, em um processo acelerado e contínuo de mudanças, exigindo de nós novos comportamentos. Mudar é preciso e necessário, torna-se um desafio “aprender a aprender”, “aprender a ser” e “aprender a fazer”. Devido a isso e a inúmeros outros fatores, no que diz respeito ao campo educacional, surge a necessidade de rever as práticas pedagógicas, para que as mesmas acompanhem essas mudanças e conseqüentemente, as concepções e práticas de avaliação, afinal, a avaliação ainda está sendo utilizada mais como um instrumento que mede conhecimentos do que como um processo que promove o aprendizado e melhora o ensino.

 

Sabe-se que o processo avaliativo vem sempre acompanhado de dúvidas, angústias, incertezas e até incoerências e, no entanto, constitui-se no processo crucial para a vida de quem está sendo avaliado, por isso, diante desse contexto, é preciso ter sabedoria, coragem, determinação, prudência e seriedade para atuar na escola de hoje que é dinâmica e transformadora.

 Assim como a prática de avaliação, não há um consenso sobre sua conceituação. Veja o que dizem alguns autores sobre avaliação:

Piletti (1987): avaliação é um processo contínuo de pesquisas que visa interpretar os conhecimentos, habilidades e atitudes dos alunos, tendo em vista mudanças esperadas no comportamento, propostas nos objetivos educacionais, afim de que haja condições de decidir alternativas do planejamento do trabalho do professor e da escola como um todo.

Hoffmann (1993): avaliar é uma ação provocativa do professor, desfiando o aluno a refletir sobre as experiências vividas, a formular e reformular hipóteses, direcionando para um saber enriquecido.

Sordi (1995): avaliar é um ato dinâmico onde o professor e o aluno assumem o seu papel, de modo co-participativo, através da implementação do diálogo e da interpretação respeitosa, comprometendo-se com a construção do conhecimento.

Perrenoud (1999): a função nuclear da avaliação é ajudar o aluno a aprender e ao professor ensinar, determinando também o quanto e em que nível os objetivos estão sendo atingidos. Ela não e um fim, mas uma engrenagem do funcionamento didático.

Ribeiro (2000): avaliar é uma prática educativa que se confunde com o próprio processo de planejamento, uma vez que acompanha toda e qualquer ação que nele se realize e a ele se integra para apontar erros e acertos, retificações ou ratificações.

 O nosso grupo de Londrina (Valessa, Vilma, Elisa, Juliana, Marcelo, André e Gabriella), após algumas reflexões também elaboramos um conceito para avaliação: avaliar, dentro de uma visão construtivista, é um processo formativo que implica diagnosticar inicialmente as competências e habilidades do educando e acompanhá-lo até o momento final, verificando seu crescimento.

E você? Não quer expressar sua idéia do que é avaliação?

Todos os presentes guardam silêncio absoluto, olhos fixos no professor, sofrendo por antecipação. A tensão no ar é tanta que poderia ser cortada com uma faca. Quase se pode ouvir as dezenas de corações batendo descompassadamente. Uns poucos tentam parecer alheios a tudo, refugiando-se em anotações, livros e cadernos, mas no fundo, não conseguem absorver nada do que está escrito ali.

É dia de avaliação.

Teste. Bimestral. Dissertação. Redação. Avaliação. Ah, são tantos nomes, mas não importa. A apreensão que eles trazem aos alunos é sempre a mesma. Cria-se um ambiente em que tudo pode acontecer. Desde um aluno, escoladíssimo, conseguir colar com a maior cara-de-pau, sem despertar nenhuma suspeita, até uma discípula resolver a prova rapidamente, achar que "não é possível, devo ter respondido algo errado", e substituir todas as respostas certas por erradas.

É dia de avaliação.

E são dezenas de cabeças concentradas sobre papéis, numa luta contra dez questões impiedosas. Ali, joga-se o futuro. E, ao se colocar a folha na mesa do professor, a angústia não acaba. É hora da correção do corredor. O que você respondeu na 5? A 9 era verdadeira ou falsa? Crescem as dúvidas, num suspense que só acaba bem ou mal quando o professor dá a nota.

É dia de avaliação.

Autor: Prof. Brandão Minardi

A avaliação não deve ser vista como um fim - apenas para comprovar dados ou mesmo assumir um caráter seletivo, autoritário e punitivo - mas como um meio para a percepção, para o diagnóstico e para a análise do aprendizado.

          Objetivo

Este Blog é uma atividade da disciplina de Avaliação em Ead ministrada pelo prof. Gilberto Lacerda no Curso de Mestrado em Tecnologias da Informação e Comunicação na formação em EAD.

Aqui você encontrará um espaço para compartilhar idéias e reflexões sobre o tema Avaliação do Tutor.

 Porém , antes de entrar no tema propriamente dito, serão abordados alguns conceitos que considero importantes para a construção dos conhecimentos. São eles:

Sua contribuição será muito bem vinda. 

 




[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL , Sul , ARAPONGAS , Mulher

 
Visitante número: